Receita para resolver coisas insolúveis

Ingredientes:
1 pai + 1 litro de leite
1 mãe + 2 ovos
1 irmão + 1 colher de margarina
1 irmã + 2 colheres de açúcar
1 cunhada + 1 pitada de sal
3 sobrinhos + 1 copo de fermento
1 avó + 500 gramas de trigo

O sabor é de preferência que é multiplicado pela quantidade de massa de sofrimento divido pela a inutilidade da ação vazia no tempo.

Modo de preparo:

Junte todos os ingredientes numa vasilha redonda e funda. Jogue o pai com o leite, a mãe com os dois ovos, o irmão com uma colher de margarina, a irmã juntamente das duas colheres de açúcar, coloque a cunhada junto com a pitada de sal e jogue todos os sobrinhos com um copo de fermento. Tente mexer a massa para que ela fique homogênea.
Daí surge todo o dilema de existir.
Bata a massa por dez minutos batendo, unte a forma e aqueça o forno. Em dez minutos teremos uma casa habitando no fundo, formando um lugar na existência de cada um, sendo todos eles reféns deste determinado espaço.E ao adquirir mais consistência, uma pergunta para não deixar a massa cair: como viver junto?

Deixe assar por trinta minutos. Poderá haver mortes, suicídios, estupro, alcoolismo, prostituição, inveja, rejeição, ódio, fanatismo, preconceito, crenças, humilhação, autoritarismo e dor, muita dor.
Jamais abra o forno enquanto ele estiver aquecendo e formando a massa de gente. A massa pode solar e soterrar todos dentro da casa.
E depois de assada, deixe a massa esfriar.
E de pedaço em pedaço, tente se reconstruir.

Rendimento: uma vida inteira.

Trecho do meu primeiro romance ‘A Visita – Memórias, confissões e segredos’. Adquira-o aqui > https://www.amazon.com.br/dp/B01M18UG2P

Anúncios