Eu quero outras cores
Quero enxergar a diversidade dos afetos
Não quero mais preto e branco
Eu não quero mais sentir os extremos.

Eu quero viver outras cores
Quem sabe o verde, o amarelo?
O lilás, o vermelho?
Eu não suporto mais sentir tudo em preto e branco
Eu não quero mais viver em extremos.

Eu quero enxergar todas as cores
Tocar o azul, sentir o céu limpo
Estou cansado de viver nas nuvens pesadas
Eu preciso de um novo caminho.

Eu quero sentir outras cores
Quero sentir mais alegria, mais amor
Estou cansado dos desafetos, dos embates
Das guerras psíquicas intermináveis.

Pior do que viver contra os outros
É viver contra si mesmo.

Eu tenho estado cego
Faltam cores no meu cérebro
Os dias nublados são tão tristes
Como a beleza que há tempos já não enxergo.

Eu quero outras cores, outros afetos
Outros modos, outras perspectivas
Eu quero me livrar de mim
Pior do que ser um animal perdido entre os humanos
É sufocar-se dentro de seu próprio castelo de medos.

Eu tenho me machucado
Eu tenho sangrado a minha esperança
Tenho me aniquilado
E eu não sei o que pretendo
Só sei o que eu não quero.

Entre tantos desejos ofuscados
Cores ausentes, cérebro deficiente
Eu me desfaço
Perco a visão
Perco horizontes
Perco o meu futuro
E fico preso ao presente.

Eu não enxergo mais ninguém
Ninguém me toca de fato
Eu estou blindado por medos
Eu não pertenço mais a mim mesmo.

Eu não habito mais em mim
Eu estou vivendo em outro tempo
Perdido em outro espaço.

menino-na-janela-tremsolidao

Anúncios