Resenhas originalmente publicadas no site Critical Theory.

Em Settler common sense, Mark Rifkin explora a forma como alguns dos mais canônicos escritores americanos participaram no legado de deslocar os nativos americanos. Embora os livros nos quais ele se foca não sejam sobre os índios, eles servem como exemplos do que Rifkin chama de “senso comum colonial”, dando por certo a estrutura jurídica e política por meio do qual os povos indígenas continuam a ser despossuídos.

settler-common-sense-rifkin Baixe o livro aqui.

Veja também:O melhor de 2014: baixe três livros de teoria crítica gratuitamente (Pt 2)

Queer insists é um ensaio memorial, um trabalho de luto, escrito para o teórico queer e estudioso do desempenho escolar José Esteban Muñoz (1967-2013), pouco depois de sua morte prematura, em dezembro de 2013. Em uma série de fragmentos, e não diferente do Diário matinal de Roland Barthes , Michael O’Rourke compartilha memórias de…

Ver o post original 421 mais palavras

Anúncios