Um texto de Alceu Castilho.

Atenção, aliados dos fascistas com dúvidas sobre as práticas fascistas durante os protestos fascistas. Vamos aos fatos: ‪#‎jogodossetefascistas‬

1) Jovem vestido de vermelho é agredido por várias pessoas em Copacabana, inclusive com a presença de policiais. Quem sai de camburão é ele, não os agressores – por sinal, homofóbicos.https://www.facebook.com/video.php?v=888093417896154&set=vb.100000865127614&type=2&theater

2) Bandeira do PT é pisoteada em Belo Horizonte. Com a participação de crianças. Um dos manifestantes simula defecar sobre o símbolo.https://www.facebook.com/video.php?v=866448123403153

3) Em Copacabana, um senhor com camiseta – vermelha – do Movimento de Luta por Moradia é obrigado a retirar a camiseta. Igualmente com o aval de policiais. https://www.facebook.com/video.php?v=465776446913839&fref=nf

4) Sede do PT é incendiada em Jundiaí. Fato motiva uma notinha na edição impressa do Estadão. O Globo dá com um pouco mais de destaque – abaixo da dobra de uma página interna. http://politica.estadao.com.br/…/geral,sede-do-pt-e-incendi…

5) Em São Paulo, manifestantes ameaçam invadir um sobrado ocupado por sem-teto. Em um domingo, a classe média branca berra para os trabalhadores negros: “Vai… tra-balhar! Vai… trabalhar!”https://www.facebook.com/video.php?v=10206299206620248

6) Em Manaus, manifestantes içam uma bandeira do PT e ateiam fogo. Depois, em ritual que se multiplica, pisam em cima:http://amazonasatual.com.br/manifestantes-atearam-fogo-na-…/

7) Em Brasília, cachorrinho com bandana vermelha é espancado e estrangulado por manifestantes com camiseta da CBF.https://www.facebook.com/651997384886002/photos/a.652011128217961.1073741828.651997384886002/807631135989292/?type=1&theater

Isso tudo em 2015. Aqui, agora. Não são “fatos isolados”. No dia 28 de fevereiro, durante manifestação em Chapecó, um homem invadiu um apartamento para retirar uma bandeira do MST. Sob uivos e aplausos.https://www.youtube.com/watch…

Em junho de 2013, militantes de movimentos sociais foram acuados por neonazistas na Paulista. Naquele dia, todo mundo que tinha uma camiseta vermelha era obrigado a tirá-la, sob ameaça. Foi um dia de terror.http://www.revistaforum.com.br/…/esquerda-x-direita-na-ave…/

O fascismo já estava desenhado, já buscava delimitar seu território – o do ódio, da exclusão. Agora apenas se multiplica, alimentado pelas polícias fascistas, por políticos irresponsáveis e fascistas e pelos meios de comunicação. Estes são responsáveis pela identificação do suposto inimigo e pela construção paulatina dos símbolos a serem demonizados. Seu líder, a revista Veja.

Mas o fascismo cresce também pela cumplicidade de cada manifestante – mais ou menos bem intencionado, mais ou menos informado sobre as causas e símbolos que julga estar abraçando, mais ou menos ingênuo ou atento aos livros de história, mais ou menos consciente da cultura fascista que está multiplicando.

Fascistas precisam ser chamados por seu nome, fascistas que são. O fascismo está longe de ser algo ligado a uma época específica. Migrou da Itália para o mundo e tem na intolerância um de seus principais motores. Seus propagadores elegem um inimigo e consideram que todo o mal gira em torno desse inimigo.

Outra característica central é a covardia. Fascistas gostam de andar em grupo, gostam de manifestações de massa. Sentem-se empoderados, grandiosos. Devidamente ridicularizados por Federico Fellini no filme Amarcord (1973), eles não viram o filme ou não entenderam; não percebem a dimensão da própria estupidez.

Fica, portanto, o aviso. Seguiremos saindo às ruas de camisetas, bandanas e pulseiras vermelhas; bonés, cintos e colares vermelhos. Comunistas, petistas, representantes ou defensores de sem-teto, sem-terra, sindicatos. Ou qualquer cidadão que goste de usar vermelho. Não pelo vermelho, em si. Pela liberdade.

Os covardes terão de se identificar cada vez mais como covardes.

Não passarão.

Anúncios