Ela é o sonho
Ele o pesadelo
Ela busca a luz
Ele, o desespero.

Juntos caminham lado a lado
Durante o dia inteiro.

Ela tenta encontrar a mão de Deus
Ele, o próprio enterro.
Ela canta alegremente para afastar a solidão
Ele chora o dia inteiro durante o verão.

Mas eis que a vida lhe pregou uma peça
Um belo encontro sorrateiro
E como ela desconhecia a escuridão
E ele desconhecia o belo
A chama logo se acendeu.
E se queimaram em assombro
Pelo corpo inteiro.

E juntos,
Hoje vivem.

De mãos úmidas entrelaçadas
Dominados pelo espírito elevado de paixão
Que arde em chamas
Derretendo toda a neve no chão
Se unem em contradição
Pelo maior desejo existente em nós:
O amor verdadeiro.

Ela lhe mostra a luz
E ele, o inferno
E assim sobrevoam entre os enfermos
Derramando luz, sombra, terror e sossego.

Ela aproveita para alimentar alguma esperança
Algum resquício de fé entorpecida pela dor
Mas os enfermos dizem:
O problema não é a dor!
É a maldita esperança que nunca chegou!

Ele cuida dos renegados do mundo
E os levam para um esconderijo sombrio
Onde a dor é a rainha
E todas as fraquezas do mundo são permitidas.

E até o fim dos tempos eles permanecerão
Um distribuindo amor e ilusão
Outro, o terror e escuridão.

E o amor entre os dois só possui um segredo:
Ela não quer mudar ele
E nem ele quer mudar ela.

E assim sendo,
Caminham entre a luz e as trevas
Ambos sem medo algum
Ela já conhece a saída
E ele, já conhece o portão das sombras.

E nessa fusão,
Eles permanecem unidos
Como sempre serão.

Pois ela tem um bom coração
E ele,
Tem muitas marcas de castigos dos pais.

É o amor
É a esperança
Sobrevoando suas mentes
Espantando todos os medos
Curando todas as feridas
Que um dia estavam adormecidas
E até perdidas.

É o amor unindo pontes de separação e reinos rivais
Tão distantes e inimigos mortais
Para a salvação de nós mesmos.

casal de maõs dadas

Anúncios